Os estudantes de pós-graduação lato sensu (especializações) poderão, em breve, desfrutar das facilidades trazidas pelo Sistema Integrado de Gestão das Atividades Acadêmicas (SIGAA). Adotada pela graduação desde março, a plataforma congrega, a poucos cliques, funcionalidades utilizadas no dia a dia da vida acadêmica. A estreia do sistema para as especializações também vem para auxiliar técnicos, docentes e coordenadores de curso em suas atividades e simplificar a busca por informações pelo público em geral.

 

>> Relembre: SIGAA está no ar

 

"A implantação facilitará os processos aos diversos públicos. Para docentes e coordenadores, por exemplo, a elaboração da proposta de curso será em um formulário fácil de ser preenchido e intuitivo", explica a coordenadora de Cursos Lato Sensu da Diretoria de Pós-Graduação (CCLS/DIRPG/DPG), Maria Paula Zaitune.

 

"Os estudantes passam a poder emitir documentos por meio da internet, como declaração de vínculo e atestado de matrícula. A consulta das notas pode ser feita à medida que são lançadas e consolidadas, não necessitando esperar a finalização do curso para ter acesso ao histórico escolar", lembra a chefe do Serviço de Registro de Pós-Graduação da Secretaria de Administração Acadêmica (SAA), Milena Gomes.

 

Atualmente, os processos seletivos para cursos de pós-graduação lato sensu são feitos e divulgados de forma descentralizada. A partir da chegada do SIGAA para essa modalidade de formação, todos os editais de seleção abertos passarão a estar disponíveis, de forma transparente, em uma única página do portal público, de fácil acesso a todos, sem necessidade de login e senha.

 

"Esse módulo permitirá realizar, de forma integrada e transparente, a execução e a gestão das especializações da UnB", afirma o técnico da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) Rannye Foster, que vem trabalhando para consolidar a implantação do SIGAA na UnB.

 

>> Tire suas dúvidas sobre o SIGAA

 

GESTÃO DOS PROCESSOS – A partir da implementação do SIGAA para a pós-graduação lato sensu, os fluxos dos processos seletivos também passam a ser padronizados para toda a Universidade. Isso quer dizer que, em todas as áreas, passa a haver um procedimento padrão para as etapas de seleção, divulgação, inscrição e emissão de certificados. A autonomia das unidades é mantida para decidir os critérios, mas os procedimentos estabelecidos garantem transparência das informações ao público. 

 

"Os cursos terão autonomia para submeter propostas de curso para aprovação, publicar processos seletivos, cadastrar discentes, realizar matrículas em turmas, registrar trabalhos finais, submeter e aprovar relatórios finais, consolidar turmas, por exemplo", acrescenta Rannye Foster.

 

Para os coordenadores, técnicos e docentes envolvidos na gestão de turmas de pós-graduação lato sensu, uma das novidades que irá ajudar a poupar tempo e evitar o retrabalho é o advento da turma de entrada. Com essa nova etapa, os estudantes são cadastrados única vez e matriculados em novas disciplinas sem a necessidade de preenchimento de dados adicionais.

 

A turma funciona como uma forma de agrupamento e permite ao coordenador, por exemplo, executar as tarefas em forma de bloco, não precisando fazer manualmente cada inserção.